Quais são os limites técnicos do Firebird?

Aqui estão elas:

O tamanho máximo do banco de dados : ilimitado com Firebird 2 (usando vários arquivos) , 32TB com FB 1.x
Tamanho máximo de um arquivo: 16 TB ou mais , depende do sistema de arquivos usado

O número máximo de tabelas: Tables 32k
O tamanho máximo de uma tabela : 32TB (~ 30GB para Firebird 1.x)
O número máximo de linhas por tabela : 16G (4G com Firebird 1.x)

Limites do sistema de arquivos aplicar para todos aqueles valores , por favor leia FAQ # 59 para mais detalhes.

Tamanho máximo de linha : 64k
O número máximo de colunas por tabela : Depende os tipos de dados que você usa. ( Exemplo: . 16.384 inteiro ( 4 bytes ) valores por linha) Blobs apenas armazenar blob_id e os dados são armazenados separadamente.

O número máximo de índices por tabela : cerca de 850 índices ( limite de páginas de índice raiz )
O número máximo de índices por banco de dados: índices 4G
Número de índices depende do tamanho da página e tipos de dados utilizados .

tipos de dados :

Char e Varchar : 32,767 bytes
Smallint : 16 bits
32 bits : Integer
BigInt : 64 bits
Float: 32 bits , 3.4×10 ^ -38 a 3.4×10 ^ 38, 7 dígitos de precisão
Duplo : 64 pedaços , 1.7×10 ^ -308 a 1.7×10 ^ 308 de 15 dígitos de precisão
Timestamp : Bits de 64, 01 de janeiro 100-28 Feb 32768.
Data: 32 bits, 01 de janeiro de 100 . 29 de fevereiro de 32768.
Time: 32 bits, 00:00 para 23:59.9999
Blob : 32GB

Numeric e Decimal são armazenadas internamente como smallint , integer ou bigint , dependendo do tamanho . Eles podem lidar com até 18 dígitos.

Fonte: http://www.firebirdfaq.org/faq61/

Atalhos de Teclado da IDE do Delphi

Ctrl+Shift+I: Indentar multiplas linhas de código de uma única vez em “n” espaços (conforme o que estiver especificado em Tools/Editor Options/General/Block Indent).
Ctrl+Shift+U: Recuar indentação em “n” espaços (ídem acima).
Ctrl+Shift+0 a 9: Inserir um Bookmark no editor de código. Ex: Você está na linha 845 e tecla Ctrl+Shift+0 (irá aparecer um pequeno quadrado com o número 0 à esquerda do editor). Você vai para o início da unit e, para voltar para a linha 845, é só teclar Ctrl+0. Tecle novamente Ctrl+Shift+0 para desmarcar.
Alt+G: Ir para uma determinada linha.
Ctrl+Shift+Seta para cima ou para baixo: Intercala entre o cabeçalho da procedure/função e a implementação da mesma.
Ctrl+Shift+C: Class Completion. Este recurso é muito interessante para “auto-completar” uma função/procedure que você irá criar. Ex: Você digita o seguinte cabeçalho de procedure na seção de interface da unit:

procedure Imprimir(Sender: TObject; Relatorio: String);

Ao teclar Ctrl+Shift+C, automaticamente o Delphi insere na área de Implementation (no final da unit) o “corpo” da procedure, como segue:

procedure Imprimir(Sender: TObject; Relatorio: String);
begin

end;

Este recurso também funciona da forma inversa, ou seja, se você implementar o “corpo” da procedure/function, e teclar Ctrl+Shift+C, o Delphi irá adicionar o cabeçalho na área de interface da unit.
Ctrl+Mouse: Clique com o botão esquerdo do mouse mantendo pressionada a tecla Ctrl sobre a chamada a uma procedure/function/variável para localizá-la na unit atual ou em outra unit.
Ctrl+J (Code Templates): Este recurso também tem uma boa utilidade.
Digamos que você, a todo momento, precise usar um “if..then..else”. Ao invés de digitar todo comando, você pode teclar Ctrl+J e, localizar o Template (modelo) apropriado na janela que se abre. Tecle enter para aplicar o Template escolhido. Para alterar ou incluir novos templates, vá em Tools/Editor Options/Code Insight.
Ctrl+O+U: Alterna a caixa (maiúscula/minúscula) do código selecionado.
Ctrl+K+E: Converter o código selecionado para minúsculas.
Ctrl+K+F: Converter o código selecionado para maiúsculas.
Ctrl+E: Ativa a busca incremental. Você pode pressionar Ctrl+E e digitar diretamente a palavra que deseja procurar, sem a necessidade de passar por uma caixa de diálogo especial (Ctrl+F).
Ctrl+Shift+Setas: Mover o(s) componente(s) selecionado(s) rapidamente no form. O “salto” da movimentação é determinado pelo valor informado em Tools/Environment Options/Grid size X e Y.
Ctrl+Setas: Move o componente pixel a pixel.
Shift+Setas: Redimensiona o componente pixel a pixel.

OUTRAS DICAS:
Quando estamos trabalhando com o Delphi, muitas vezes aparece a dita cuja Ampulheta e temos que ficar aguardando a boa vontade da mesma em voltar ao normal. Isso se deve ao fato de o Delphi manter uma análise de segundo plano constante, tanto do código-fonte que você está escrevendo, quando do código-fonte das units a que a sua unit atual se refere. Este recurso tem por finalidade auxiliar na codificação e na depuração do programa. O ideal é desabilitar este recurso e só habilitá-lo quando necessário. Para isso, entre em Tools/Editor Options/Code Insight e, no grupo Automatic Features, desmarque as opções 1, 2 e 4. Além disso, diminua o Delay para 0,5 sec.
Quando for necessário usar estes recursos proceda da seguinte forma:
– Se quiser usar o Code Completion, no momento em que digitar o comando e o ponto (Ex. Edit1. ), presione Ctrl+Barra de Espaço para forçar a exibição dos comandos relativos àquele componente.
– Se quiser usar o Code Parameters, para visualizar os tipos de parâmetros usados por uma função, após digitar o nome da função e o parêntesis, pressione Ctrl+Shift+Barra de Espaço (Ex: ZeraCod( ). Isto fará com que um hint apareça, exibindo qual parâmetro deve ser informado naquele momento.
– Quando você move o ponteiro do mouse sobre um componente, uma dica de tela aparece mostrando o nome e o tipo do mesmo (Ex: CdEmp: TEdit).
– Quando você redimensiona um componente, a dica mostra o tamanho (width x height) atuais.
– Quando você move um componente, a dica indica a posição atual (left e top).
– Para selecionar vários componentes, mantenha a tecla Ctrl pressionada enquando arrasta o ponteiro do mouse sobre os mesmos. Esta técnica é muito útil quando se quer selecionar componentes que estão inseridos em um componente do tipo container (Panel, GroupBox, ScrollBox, etc).
– Se você precisa adicionar vários componentes do mesmo tipo num form, mantenha a tecla Shift pressionada e clique sobre o componente desejado na paleta de componentes do Delphi. Agora é só ir clicando no form, onde quer que os novos componentes sejam inseridos. Para desfazer a “trava” do componente, clique no botão que tem um ponteiro de mouse, localizado no lado esquerdo da paleta de componentes

Fonte: http://devmedia.com.br

Versões Delphi para Diretivas de Compilação

Pessoal, estava tentando fazer algumas coisa com diretivas de compilação no delphi, mais especificadamente tentando deixar um trecho de meu código unificado para se usar em mais de uma versão do delphi.

Assim estou colocando as versão de cada delphi e sua versão na diretiva de compilação.

  • VER80 – Delphi 1
  • VER90 – Delphi 2
  • VER100 – Delphi 3
  • VER120 – Delphi 4
  • VER130 – Delphi 5
  • VER140 – Delphi 6
  • VER150 – Delphi 7
  • VER160 – Delphi 8
  • VER170 – Delphi 2005
  • VER180 – Delphi 2006
  • VER180 – Delphi 2007
  • VER185 – Delphi 2007
  • VER200 – Delphi 2009
  • VER210 – Delphi 2010
  • VER220 – Delphi XE
  • VER230 – Delphi XE2
  • VER240 – Delphi XE3
  • VER250 – Delphi XE4

Delphi Tour Multi-device

O Delphi e a suíte RAD Studio são as plataformas para o desenvolvimento de aplicações multidispositivo verdadeiramente nativas. E são ideais para você, que precisa desenvolver – rapidamente! – aplicações para desktops, tablets e smartphones. O desenvolvimento nativo possibilita aplicações com maior controle, mais seguras e com uma melhor experiência do usuário. Você, que existe para construir grandes aplicações, verá como suportar várias plataformas e dispositivos a partir de uma única base de código, preservando o seu conhecimento, em tópicos como:

  • Desenvolvimento Multidispositivo
  • O novo compilador
  • Evoluções da Linguagem Delphi
  • Templates para aplicações móveis
  • Controles e estilos nativos, Actions e Gestures
  • Acesso nativo a sensores
  • Banco de dados embutido
  • Desenvolvimento multicamadas

Site para inscrição: http://www.embarcaderobr.com.br/tour/

Projeto piloto de nota fiscal eletrônica entra em vigor no RN, diz SET

O projeto piloto da nota fiscal eletrônica para consumidor final (NFC-e) passa a valer no Rio Grande do Norte, a regulamentação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (11). Segundo a Secretaria Estadual de Tributação (Set), a mudança tem o intuito de oferecer mais uma facilidade ao registro de operações do comércio varejista, diminuindo as chances de sonegação fiscal.
Além disso, segundo a Set, a alteração permitirá a padronização de procedimentos pelo meio eletrônico tendo como parâmetro a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), que entrou em vigor no Brasil em 2008. Através dela, as Secretarias de Fazenda receberão as informações assim que ocorrer a operação comercial. A interferência no ambiente do contribuinte será mínima, à medida que o fisco estadual não precisará vistoriar máquinas para obter as informações que estarão disponíveis no ambiente virtual.

O projeto piloto para NFC-e foi instituído através da reunião técnica do Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais (Encat), em Manaus, que aconteceu em agosto do ano passado, e teve a participação de empresas voluntárias sediadas nos estados que se integraram no projeto piloto: Rio Grande do Norte, Sergipe, Rio Grande do Sul, Maranhão, Mato Grosso, Amazonas e Acre.
Segundo o Auditor Fiscal Marconi Brasil, este é um marco de avanço significativo para a consolidação da NFC-e no RN, resultante de um trabalho de parceria entre o fisco, empresas e provedores de Tecnologia da Informação (TI). “Certamente o caminho é ainda mais longo e estamos pavimentando-o para uma solução madura, eficiente e que atenda a todas as partes envolvidas”, disse.

Vantagens

Através da utilização do NFC-e o consumidor poderá ter o documento fiscal a hora que precisar, diminuindo assim o uso do papel. As informações poderão ser enviadas pela empresa por e-mail para o cliente. Caso ele tenha um smartphone ou aparelho que disponha de tecnologia móvel de captura e armazenamento de dados visuais, como tablet, o mesmo poderá escanear da tela do computador da empresa o QR Code, código de barras bidimensional.
Ao consultar o código pela Internet ele terá acesso a todas as informações da transação comercial descritas na NFC-e, assim como a impressão do documento.

Para efetuar o download da portaria clique aqui.

MUDANÇA DO AMBIENTE AUTORIZADOR DA NF-E

Empresas do RN emissoras de NF-e devem ajustar seu aplicativo para o novo ambiente autorizador SVRS no dia 06 de maio de 2013
Para tanto, devem providenciar a alteração no software emissor mudando o ambiente autorizador da SVAN para a SVRS.
Mudança no Software Emissor da NF-e:

  1. Para as empresas que utilizam o programa emissor gratuito, oferecido pela SEFAZ/SP, a atualização do programa será automática, bastando à empresa seguir as orientações do próprio aplicativo.
  2. Para as empresas que utilizam programa emissor próprio ou de terceiros, a mudança limita-se a troca do endereço eletrônico dos serviços (WebServices) da NF-e, apontando-os para o ambiente SVRS. (instruções em anexo)

Atenção: A atualização deverá ser implantada pela empresa para funcionar a partir do dia 06 de maio de 2013. Após está data, o ambiente autorizador NF-e do SVAN será desativado para os contribuintes do RN.
Dúvidas e contato

A equipe de atendimento da SET/RN estará à disposição para dirimir quaisquer dúvidas referentes ao processo de mudança do ambiente autorizador para a SVRS.
Contatos pelos seguintes canais alternativos:

  1. Através do telefone da equipe de atendimento:(84)3232-2090
  2. Através do e-mail da equipe de atendimento: atendimento@set.rn.gov.br
  3. Através da Sala de Contato do portal da SET/RN: http://www.set.rn.gov.br opção do menu ‘Sala de Contato’, assunto ‘Nota Fiscal Eletrônica’

O horário de funcionamento da equipe de atendimento será diariamente, de segunda a sexta, das 07:00 às 18:00 horas, ininterruptas.
Instruções técnicas da mudança para a SVRS (para emissor próprio):

1) Inicialmente, por medida de segurança e para adaptação ao novo ambiente autorizador, recomenda-se testar as autorizações de NF-e no ambiente de homologação (sem valor fiscal) da SVRS
Este ambiente já está disponível e pode ser utilizado livremente pelos emitentes de NF-e.
Observar a lista de WebServices da SVRS de homologação:
Sefaz Virtual Rio Grande do Sul – (SVRS) – HOMOLOGAÇÃO

 

Serviço URL (endereço eletrônico)
NfeRecepcao https://homologacao.nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/Nferecepcao/NFeRecepcao2.asmx
NfeRetRecepcao https://homologacao.nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/NfeRetRecepcao/NfeRetRecepcao2.asmx
NfeInutilizacao https://homologacao.nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/nfeinutilizacao/nfeinutilizacao2.asmx
NfeConsultaProtocolo https://homologacao.nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/NfeConsulta/NfeConsulta2.asmx
NfeStatusServico https://homologacao.nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/NfeStatusServico/NfeStatusServico2.asmx
RecepcaoEvento https://homologacao.nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/recepcaoevento/recepcaoevento.asmx

 

2) A partir do dia 06 de maio de 2013, a empresa deverá colocar em produção nova versão do aplicativo próprio ou de terceiros com os endereços (URL) da SVRS de produção.
Abaixo, segue lista de WebServices da SVRS de produção:
Sefaz Virtual Rio Grande do Sul – (SVRS) – PRODUÇÃO

 

Serviço URL (endereço eletrônico)
NfeRecepcao https://nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/Nferecepcao/NFeRecepcao2.asmx
NfeRetRecepcao https://nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/NfeRetRecepcao/NfeRetRecepcao2.asmx
NfeInutilizacao https://nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/nfeinutilizacao/nfeinutilizacao2.asmx
NfeConsultaProtocolo https://nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/NfeConsulta/NfeConsulta2.asmx
NfeStatusServico https://nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/NfeStatusServico/NfeStatusServico2.asmx
RecepcaoEvento https://nfe.sefazvirtual.rs.gov.br/ws/recepcaoevento/recepcaoevento.asmx

 

Saiba como arrumar o PC “bugado” com falha do Windows 7

O problema na atualização de segurança KB2823324, liberada pela Microsoft para o Windows 7, e que está impedindo os computadores de ligarem, é grave, mas tem solução. Enquanto a empresa não solta uma correção da falha, podemos recuperar a maquina executando os seguintes passos.

Ao ligar o computador, mantenha a tecla F8 pressionada. Um menu de opções deverá surgir. O usuário deverá selecionar a opção de acessar o modo de segurança com prompt de comando. Após a inicialização, o comando abaixo deverá ser digitado:

dism.exe /image:C: /cleanup-image /revertpendingactions

“C:”, no caso, é o drive no qual está instalado o Windows. A letra poderá ser substituída, caso o sistema tenha sido instalado em outro drive. Dê “Enter” e reinicie.
Outra opção é utilizar o disco de instalação do Windows 7. Ao iniciar o computador, entre no modo de recuperação e abra o prompt de comando. Então, digite o mesmo comando destacado logo acima deste texto e reinicie o computador.

 

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br